Esta dúvida deixa estudantes de português de cabelo em pé

Esta dúvida deixa estudantes de português de cabelo em pé

Em “E não se diga que Mário Quintana haja sido insensível às legítimas exigências da poética contemporânea…”,  a expressão “às legítimas exigências da poética contemporânea” desempenha a função de:

a) objeto direto
b) sujeito
c) adjunto adnominal
d) complemento nominal
e) objeto indireto

Quem estuda análise sintática sabe que o objeto direto, o objeto indireto e o agente da passiva complementam verbos. No entanto, há um complemento dos nomes e do advérbio, muito semelhante ao objeto indireto, já que também depende do auxílio da preposição, chamado de complemento nominal.

Claudio Henriques, em uma das minhas obras favoritas sobre Sintaxe, exemplifica:

“Temos ódio aos nazistas.”

“Odiamos os nazistas.”

Em “ódio aos nazistas“, percebe-se o complemento nominal, já que “ódio”, um substantivo, é complementado.

 No entanto, em “Odiamos os nazistas.”, percebe-se o objeto direto:  complemento verbal, sem a presença da preposição.

Ratifiquemos essas funções sintáticas com dois novos exemplos:

“Sua opinião é favorável ao povo.”

“Sua opinião favorece o povo.”

 Em “favorável ao povo”, há um complemento do adjetivo “favorável”, ou seja, complemento nominal.

 Já em “favorece o povo”, o complemento é do verbo “favorecer”, sem o auxílio da preposição:  objeto direto.

Diante disso, só podemos dizer que o termo destacado (na questão inicial deste texto) é um complemento nominal, opção da letra d. É a expressão “às legítimas exigências da poética contemporânea” preposicionada e com a função de completar o adjetivo “insensível”.

(Fonte: Exame) 

Lista de notícias

Contato