“Benções” ou “bênçãos”: qual a forma certa de usar o termo?

“Benções” ou “bênçãos”: qual a forma certa de usar o termo?

Aproveitando a época das festas de final de ano, o professor de português Diogo Arrais tira dúvida sobre um dos termos mais usados

À época das Boas-Festas, é saudável revisarmos os termos mais usados. Vejamos os termos “bênção” e “benção”.

A palavra oxítona “benções” – tonicidade presente na última sílaba – provém de “benção”, com uso formal menos comum no Brasil, mas usada correntemente em Portugal, de acordo com o importante dicionário Houaiss.

Com outras palavras, reproduz assim o Aurélio: “benção, oxítono, seria a boa forma, mas hoje é só usada pelo povo. Houve recuo da acentuação tônica.”

No Brasil, de acordo com a língua-padrão, há a preferência por “bênção” e seu correspondente plural “bênçãos”.

FICA A DICA
Uma dica aqui: tenha muito cuidado com a tonicidade de uma palavra; procure observar a presença e a ausência do acento gráfico (agudo, circunflexo ou grave).

HISTÓRIA DO TERMO
Sobre a etimologia, vem do latim “benedictione” e através de várias formas arcaicas e antigas. Remete  ao “benedictio”, ao bendito, ao bendizer, ao oposto de maldizer, ao louvor. Deu origem a dois nomes próprios conhecidíssimos em nossa Língua: Benedito, Bento.

O beneditino, aliás, é o paciente, o meticuloso, o que se devota incansavelmente a um trabalho meticuloso.

NA BOCA DO POVO
No linguajar popular, existe uma jocosa expressão: “tomar a bênção a cachorro”, que significa estar em situação difícil e humilhante; estar em maus lençóis.

Por fim, lembre-se:  existe tanto “benções” quanto “bênçãos”, mas a formalidade hoje, no Brasil, opta pela paroxítona (tonicidade presente na penúltima sílaba).

(Fonte: Exame)

Lista de notícias

Contato