Considere estes 3 passos antes de publicar um texto, recomenda professor

Considere estes 3 passos antes de publicar um texto, recomenda professor

Em busca do encantamento de nossos leitores, clientes, colegas ou superiores, quantas vezes – de fato – estamos à procura de novas palavras, ordens enfáticas e ideias criativas?

Ontem tive o prazer de reler um dos mais simples e belos textos de Rubem Braga. A crônica intitulada A Palavra, publicada em 1959, traz o seguinte início:

“Tanto que tenho falado, tanto que tenho escrito – como não imaginar que, sem querer, feri alguém?”

Com a proximidade advinda dos aplicativos de mensagens (e são inúmeros!), talvez tenha sumido o frio na barriga à espera de um parágrafo alheio. A pressa e os irônicos corretores ortográficos são recheios de uma lamentável receita à…à ferida.

Antes de continuar, uma reflexão: sabemos mesmo quem redigiu aquele texto, aquelas ideias? De fato, não há tempo. É tanto remetente distinto, tanta mensagem, tanta intenção distinta, tanto descuidado humano.

Por isso, antes de redigir (buscando criar uma saudável conexão profissional), procure seguir alguns passos:

1. Como posso ser útil àquela pessoa?
2. Revisei o meu texto, reordenando o parágrafo?
3. Essa mensagem é – de fato – necessária?

Se essas respostas forem afirmativas, é fundamental refletir sobre o vocabulário a ser usado. Quanto mais valor humano tem uma pessoa (líderes e influenciadores), mais educada é.

Durante a revisão textual (e possível reescritura de trechos), pontuação, concordância, regência, conjugação verbal e colocação dos pronomes são tópicos importantíssimos.

Muitos de nós perdemos conexões prósperas, porque na era tecnológica proferimos, escrevemos e… na pressa “instagramável” deixamos de curtir as lições de um mestre como Rubem Braga. Ferimos.

(Fonte: Exame)

Lista de notícias

Contato