A Empresa

A missão da ADCom Comunicação Empresarial é criar, consolidar, fortalecer e valorizar a imagem e reputação de empresas, instituições e profissionais junto a seu público alvo e à sociedade, por meio de comunicação integrada. Nosso trabalho tem como meta aumentar o encantamento pela marca, tornando o consumidor fã dela e, também, um disseminador de seu nome. Esta paixão possibilita à empresa praticar valores mais justos e lucrativos. Integramos distintas formas de comunicação para geramos maior visibilidade e transformarmos, de forma moderna e antenada, o assessorado em referência no seu segmento para que seu público fique cada vez mais encantado. 

Serviços

  • Relacionamento com a Imprensa

    O Relacionamento com a Imprensa, conhecido como Assessoria de Imprensa, visa dar ênfase ao envio de informações sobre o cliente à mídia impressa, eletrônica e on line para que ele se transforme em fonte em matérias jornalísticas. Esta ação agrega valor, aumenta a reputação e lembrança do nome de forma direta e indireta, atingindo diferentes públicos de interesse, de forma maciça e mais abrangente.
  • Publicações

    Desenvolvimento de publicações digitais ou impressas (jornais, revistas, newsletters, material publicitário, entre outros) com o objetivo de valorizar, institucionalmente, o cliente, atingindo e se relacionando com o público alvo, abrindo o diálogo e levando a ele informações de valor e interesse. 
  • Geração de Conteúdos

    Desenvolvemos todos os tipos de conteúdos para os mais diferentes fins. São eles: matéria jornalística, livro, blog, rede social, redação publicitária, release, newsletter, revista, jornal, sites, portais, entre outros. São textos, fotos, vídeos, podcasts (áudios), com o conteúdo pertinente àquele meio e ao público ao qual se destina. Fazemos geralmente um "cross media", onde um meio complementa o outro de forma atraente e envolvente. Estamos sempre antenados com as novas tendências e como potencializar seu uso com uma comunicação inteligente, criativa e de resultados.
  • Sites e Portais

    O site do cliente deve ter uma apresentação moderna, dinâmica e ser atualizado constantemente para geração de interesse.

    A ideia é abastecermos continuamente com notícias sobre a empresa e meio de atuação, com artigos assinados pelos diretores, com imagens, gráficos, vídeos, entre outros materiais que gerem interesse e levem informação de qualidade para o internauta.

    Atualizamos também conteúdos estáticos existentes e gerenciamos a contratação de profissionais, por exemplo, entre outras ações de relevância para este item da mais alta relevância para qualquer empresa, seja de que porte for.
  • Redes Sociais

    As redes sociais ganham importância crescente com o acesso cada vez maior de pessoas a elas pelas mais distintas formas, sendo as principais celulares e tablets.

    Por isso, devem ser tratadas com a relevância devida, aumentando o engajamento, informando e formando opinião para consolidação da reputação, bem como valorização da imagem.

    Nossa equipe elabora conteúdo (textos, fotos, vídeos, podcasts), seleciona públicos de interesse, impulsiona publicações com o foco tanto na valorização de imagem e reputação como na reversão de leads para o cliente.

    É importante sempre ser elaborado conteúdo condizente com cada rede pois cada uma delas tem a sua peculiaridade.
  • Prevenção e Gerenciamento de Crise de Imagem

    Quanto custa e quanto tempo leva para se construir um nome no mercado?

    O deslize de um funcionário, o descontentamento de cliente, a má explicação de um fato, a deturpação da informação ou até mesmo alguma fatalidade são fatores que podem arruinar a imagem e a reputação de empresas, profissionais, produtos e instituições.

    A ADCom Comunicação Empresarial, por meio de trabalho contínuo junto ao cliente, pode avaliar, prevenir, antecipar soluções e criar ferramentas específicas para situações potenciais de crise.

    E, se ela estiver instalada, resolvê-la da forma mais adequada.

    Uma crise sempre deixa sequelas graves que, se não forem corretamente trabalhadas, podem ser difíceis de reverter.
    Esta situação é, por si só, muito difícil. Porém, é importante que também se atue forte depois da ocorrência para amenizá-la de maneira substancial.
    O ideal é, desde o início desta queda, manter-se aberto ao diálogo e se mostrar acessível aos questionamentos dos públicos interno e externo, com um discurso ético, honesto e com comunicação acessível a todos.
  • Eventos

    Realizamos a cobertura in loco de eventos tanto próprios como que contem com a participação do cliente.

    É promovida divulgação jornalística pré e pós-evento para mailing de interesse e imprensa, bem como em tempo real, ao vivo, no momento que ocorre, para abastecimento das redes sociais.

    Também preparamos o presskit para a sala de imprensa e, além do apoio jornalístico, disponibilizamo-nos a sugerir ideias para maior valorização destas ações.

    Por isto, é importante que nossa equipe participe desde o momento da concepção para que se possa ter mais atrativos tanto para a imprensa como para o público de interesse. 
  • Treinamentos e Palestras

    A ADCom Comunicação Empresarial ministra palestras e treinamentos sobre o funcionamento da mídia brasileira, como lidar com a imprensa, como se portar em uma entrevista e como se comunicar com os variados públicos de interesse por meio de distintas ferramentas.

Notícias

Criança descobre esquema de apps que movimentava US$ 500 mil

Criança descobre esquema de apps que movimentava US$ 500 mil

Uma criança da República Tcheca ajudou especialistas do Avast a desmantelarem um esquema de aplicativos que movimentava cerca de US$ 500 mil com a venda de anúncios indevidos. Distribuídos no Android e iOS, os apps em questão somavam cerca de 2,4 milhões de downloads.Uma garota que não teve sua idade revelada trombou com o esquema ao navegar no TikTok e ver uma campanha que parecia suspeita. A República Tcheca possui um programa chamado Be Safe Online, que educa crianças sobre segurança na web e oferece uma ferramenta para denúncias de possíveis golpes.Os especialistas do Avast receberam a denúncia vinda da criança e, investigando o esquema, descobriram 11 apps maliciosos que eram divulgados por meio do Instagram e TikTok. Um dos perfis utilizados para propaganda contava com mais de 300 mil seguidores, segundo a empresa de segurança.Os aplicativos se disfarçavam como ferramentas de entretenimento, incluindo gerenciador de wallpapers e app para download de músicas. Após a instalação, porém, os softwares exibiram anúncios indevidamente no celular e até escondiam o ícone para desviar a atenção do usuário.A Avast avisou a Google e a Apple sobre a presença de apps maliciosos em suas lojas e, segundo o Ars Technica, os softwares já começaram a ser retirados do ar em ambas as plataformas. A empresa de segurança também denunciou os perfis de divulgação do esquema para o TikTok e Instagram. Em um comunicado, a Avast agradeceu a criança que serviu como ponto de partida para a investigação. "Agradecemos à jovem que nos relatou o perfil do TikTok, sua consciência e ação responsável é o tipo de compromisso que todos devemos ter para tornar o mundo cibernético um lugar mais seguro."(Fonte: TecMundo) Saiba Mais

Coronavírus: A corrida pela vacina

Coronavírus: A corrida pela vacina

Com os esforços para encontrar uma cura para a Covid-19 e a esperança vinda da Rússia, com a vacina anunciada pelo presidente Vladimir Putin, ainda sem efetivo sucesso, diversas pesquisas acontecem mundo afora. E todos na torcida para que médicos e cientistas derrotem o mal invisível nessa maratona exaustiva – afinal, estamos em pandemia desde março.A esperança também vem das pesquisas com uso de células-tronco ‘mesenquimais’ – as mesmas encontradas no dente de leite das crianças, para amenizar os efeitos da doença nos tecidos. Segundo o cientista  José Ricardo Muniz Ferreira, da R-Crio, os resultados dos testes são animadores, apesar do número reduzido de participantes.Para liberar o tratamento, Ferreira precisa da aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), que deve sair até o final de agosto – enquanto isso, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) já aprovou e o projeto ainda pode ter o patrocínio da EMS, maior laboratório farmacêutico no Brasil. “O objetivo com as células-tronco mesenquimais ( CTM) é impedir a inflamação e evolução da condição clínica para um quadro crítico, principalmente em pacientes com idade avançada e também naqueles com comorbidades relacionadas”, explica.Através de uma ação à distância, as CTMs são capazes de impedir uma ação direta do sistema imune no tecido lesionado, atuando assim como uma primeira linha de defesa contra uma reação autoimune crônica (resposta inflamatória exagerada). De acordo com Ferreira, entre as vantagens, é que essas CTMs possam recrutar células-tronco de outras regiões do próprio organismo para os locais da lesão, impulsionando e promovendo a regeneração.O laboratório Iron Group está fazendo outro tipo de pesquisa e até lançou a plataforma Iron On, divulgando pesquisas diárias baseada em evidências científicas para ajudar os médicos a orientar e desmistificar as dúvidas dos pacientes que chegam às consultas com muitas perguntas.Segundo Sandra Umeda  Sasaki, médica pesquisadora da Iron (formada em pesquisa clínico-científica pelo Principles and Practice of Clinical Research Course- Harvard Medical School), os estudos atuais mostram que os jovens que estão em estado grave têm o índice de massa corpórea mais alto. “Não precisa ser obeso, basta o sobrepeso. O excesso de massa de gordura no corpo leva a um estado inflamatório sistêmico, que aparentemente predispõe a complicações do vírus”, afirma, citando o Brasil: “Difícil prever a evolução da doença no Brasil, porque é um país muito heterogêneo em sua população e território e cada estado teve suas medidas de contenção da pandemia”.Umeda acrescenta que, apesar das vacinas que estão sendo desenvolvidas, o único tratamento em relação a medicação em andamento com resultados positivos está sendo feito nos EUA, com o Remdesivir, da companhia biofarmacêutica Gilead Sciences – a  Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou os estudos com o remédio no dia 25 de junho. “É um medicamento de ação antiviral que  foi testado recentemente em alguns pacientes com a covid e teve um resultado clínico significante, mas ainda está na fase de testagem. No Brasil, com relação a tratamento, não temos nenhum trabalho mais avançado. Existiu um em Manaus e outros em São Paulo, com o uso da hidroxicloroquina, mas ambos apresentaram efeitos colaterais nos pacientes e a substância não comprova eficácia com rigor científico ideal”.Como sabido, a hidroxicloroquina ficou famosa depois de um polêmico discurso do Presidente Jair Bolsonaro e do presidente Donald Trump, entusiastas do remédio. Inclusive, quando Bolsonaro testou positivo para a doença, andava com um caixa do medicamento no bolso.Perguntado sobre a “eficácia” da hidroxicloroquina, Albert Levy, médico formado na UFRJ que mora em NY há mais de 20 anos e hoje tem consultório na Park Avenue, em Manhattan, e dá aula na Faculdade de Medicina do Mount Sinai Medical Center, respondeu: “A pergunta de muitos é se acredito na hidroxicloroquina. Este remédio não é uma religião para eu poder crer. Misturar política com medicina não funciona bem. É como misturar azeite com água. Ela tem seu lugar em certas patologias onde pode reduzir a explosão de citocinas, substâncias que ajudam o organismo a combater uma inflamação e/ou uma infecção, mas que em excesso viram nocivas e auto-destruidoras como no caso de certas doenças auto-imunes como o Lúpus”.Levy completa dizendo que “estudos clínicos feitos às pressas tiveram resultados controversos. Este remédio é prescrito há décadas para doenças autoimunes e, particularmente, para a prevenção da malária, e tem seus efeitos secundários como todo remédio. Os efeitos colaterais foram exagerados pelos políticos que usam este  remédio com outros fins que terapêuticos.”De acordo com Levy, as vacinas já estão na terceira fase das investigações clínicas e portanto espero que até o final deste ano ou princípio de 2021 teremos a vacina para determinada parte das populações do mundo. As prioridades serão para os pacientes de alto risco e para os profissionais da saúde. “O coronavírus é, certamente, o maior desafio infeccioso da década até agora. E provavelmente é a primeira vez que uma quarentena é imposta ou sugerida para quase 8 bilhões de pessoas no nosso planeta. Isso praticamente da noite para o dia”, diz. Levy também chama atenção para o efeito psicológico da pandemia e também faz alguns questionamentos, que só o tempo vai poder responder. “As pessoas têm medo umas das outras. O distanciamento físico obriga a pessoa a se ver só e conviver com ela ou com número restrito de familiares ou amigos. Também causa revolta. Tipo uma panela de pressão. Todo mundo confinado e, de repente, tem oportunidade de sair para protestar sendo que o motivo pode ser aparente ou não. Será que foi o assassinato de George Floyd em Minneapolis que fez a panela de pressão estourar? Ou será que as pessoas já estavam saturadas de ficar confirmadas e sem perspectiva de uma ajuda econômica, perdendo emprego ou perdendo esperança? Será a incerteza das autoridades para com a pandemia?”.(Fonte: Embarque Na Viagem) Saiba Mais

Clientes

Contato