A Empresa

A missão da ADCom Comunicação Empresarial é criar, consolidar, fortalecer e valorizar a imagem e reputação de empresas, instituições e profissionais junto a seu público alvo e à sociedade, por meio de comunicação integrada. Nosso trabalho tem como meta aumentar o encantamento pela marca, tornando o consumidor fã dela e, também, um disseminador de seu nome. Esta paixão possibilita à empresa praticar valores mais justos e lucrativos. Integramos distintas formas de comunicação para geramos maior visibilidade e transformarmos, de forma moderna e antenada, o assessorado em referência no seu segmento para que seu público fique cada vez mais encantado. 

Serviços

  • Relacionamento com a Imprensa

    O Relacionamento com a Imprensa, conhecido como Assessoria de Imprensa, visa dar ênfase ao envio de informações sobre o cliente à mídia impressa, eletrônica e on line para que ele se transforme em fonte em matérias jornalísticas. Esta ação agrega valor, aumenta a reputação e lembrança do nome de forma direta e indireta, atingindo diferentes públicos de interesse, de forma maciça e mais abrangente.
  • Publicações

    Desenvolvimento de publicações digitais ou impressas (jornais, revistas, newsletters, material publicitário, entre outros) com o objetivo de valorizar, institucionalmente, o cliente, atingindo e se relacionando com o público alvo, abrindo o diálogo e levando a ele informações de valor e interesse. 
  • Geração de Conteúdos

    Desenvolvemos todos os tipos de conteúdos para os mais diferentes fins. São eles: matéria jornalística, livro, blog, rede social, redação publicitária, release, newsletter, revista, jornal, sites, portais, entre outros. São textos, fotos, vídeos, podcasts (áudios), com o conteúdo pertinente àquele meio e ao público ao qual se destina. Fazemos geralmente um "cross media", onde um meio complementa o outro de forma atraente e envolvente. Estamos sempre antenados com as novas tendências e como potencializar seu uso com uma comunicação inteligente, criativa e de resultados.
  • Sites e Portais

    O site do cliente deve ter uma apresentação moderna, dinâmica e ser atualizado constantemente para geração de interesse.

    A ideia é abastecermos continuamente com notícias sobre a empresa e meio de atuação, com artigos assinados pelos diretores, com imagens, gráficos, vídeos, entre outros materiais que gerem interesse e levem informação de qualidade para o internauta.

    Atualizamos também conteúdos estáticos existentes e gerenciamos a contratação de profissionais, por exemplo, entre outras ações de relevância para este item da mais alta relevância para qualquer empresa, seja de que porte for.
  • Redes Sociais

    As redes sociais ganham importância crescente com o acesso cada vez maior de pessoas a elas pelas mais distintas formas, sendo as principais celulares e tablets.

    Por isso, devem ser tratadas com a relevância devida, aumentando o engajamento, informando e formando opinião para consolidação da reputação, bem como valorização da imagem.

    Nossa equipe elabora conteúdo (textos, fotos, vídeos, podcasts), seleciona públicos de interesse, impulsiona publicações com o foco tanto na valorização de imagem e reputação como na reversão de leads para o cliente.

    É importante sempre ser elaborado conteúdo condizente com cada rede pois cada uma delas tem a sua peculiaridade.
  • Prevenção e Gerenciamento de Crise de Imagem

    Quanto custa e quanto tempo leva para se construir um nome no mercado?

    O deslize de um funcionário, o descontentamento de cliente, a má explicação de um fato, a deturpação da informação ou até mesmo alguma fatalidade são fatores que podem arruinar a imagem e a reputação de empresas, profissionais, produtos e instituições.

    A ADCom Comunicação Empresarial, por meio de trabalho contínuo junto ao cliente, pode avaliar, prevenir, antecipar soluções e criar ferramentas específicas para situações potenciais de crise.

    E, se ela estiver instalada, resolvê-la da forma mais adequada.

    Uma crise sempre deixa sequelas graves que, se não forem corretamente trabalhadas, podem ser difíceis de reverter.
    Esta situação é, por si só, muito difícil. Porém, é importante que também se atue forte depois da ocorrência para amenizá-la de maneira substancial.
    O ideal é, desde o início desta queda, manter-se aberto ao diálogo e se mostrar acessível aos questionamentos dos públicos interno e externo, com um discurso ético, honesto e com comunicação acessível a todos.
  • Eventos

    Realizamos a cobertura in loco de eventos tanto próprios como que contem com a participação do cliente.

    É promovida divulgação jornalística pré e pós-evento para mailing de interesse e imprensa, bem como em tempo real, ao vivo, no momento que ocorre, para abastecimento das redes sociais.

    Também preparamos o presskit para a sala de imprensa e, além do apoio jornalístico, disponibilizamo-nos a sugerir ideias para maior valorização destas ações.

    Por isto, é importante que nossa equipe participe desde o momento da concepção para que se possa ter mais atrativos tanto para a imprensa como para o público de interesse. 
  • Treinamentos e Palestras

    A ADCom Comunicação Empresarial ministra palestras e treinamentos sobre o funcionamento da mídia brasileira, como lidar com a imprensa, como se portar em uma entrevista e como se comunicar com os variados públicos de interesse por meio de distintas ferramentas.

Notícias

Facebook deve mudar de nome após polêmicas e focar no metaverso

Facebook deve mudar de nome após polêmicas e focar no metaverso

Uma das marcas mais conhecidas mundialmente, o Facebook está passando por um impensável rebranding e deve mudar seu nome já na semana que vem. A nova representação simbólica da empresa deverá ser anunciada no dia 28 de outubro, durante a conferência anual Connect, pelo CEO Mark Zuckerberg. O foco, segundo o site The Verge, é a implementação do metaverso, novo paradigma da rede social.Aliás, esse último termo é um dos motivos pelos quais o Facebook quer mudar de nome. A nova marca, que poderá ser anunciada mesmo antes do evento da semana que vem, pretende desvencilhar o Facebook do rótulo de apenas uma "mídia social" (com todo o estigma que a expressão carrega hoje) e se tornar um dos muitos produtos de uma holding, ao lado do Instagram, WhatsApp, Oculus, entre outros produtos.A estratégia, não confirmada pela empresa, não é nova: em 2015, cansado de ser apenas o motor de buscas, o Google se reorganizou sob o guarda-chuva da Alphabet, um conglomerado que hoje abriga, além do conhecido buscador, também o Android, YouTube, Calico, Waymo, Google X, Deep Mind e outros. Assim, o Facebook, com um quadro de mais de 10 mil funcionários, pretende evoluir "para uma empresa metaversa", segundo Zuckerberg.Qual poderá ser o novo nome do Facebook?O novo nome do Facebook é ainda um segredo guardado, e nem todos os executivos o conhecem. Para o The Verge, o rebranding deverá marcar a transição para o trabalho futurista hoje desenvolvido por Zuckerberg para tirar o foco do intenso julgamento ao qual o Facebook se vê submetido diuturnamente por órgãos reguladores do mundo inteiro.Uma boa aposta de marca seria Horizon, o nome da futura plataforma online, anunciada pelo Facebook em agosto como um ponto de partida para o metaverso. Nas Horizon Workrooms, profissionais usando o Oculus Rift 1 entrarão em reuniões virtuais com seus avatares pessoais.(Fonte: Tecmundo) Saiba Mais

Prefeitura de SP recua e decide manter obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos

Prefeitura de SP recua e decide manter obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos

A Prefeitura de São Paulo recuou e decidiu manter a obrigatoriedade da utilização de máscaras de proteção facial contra a Covid-19 em locais públicos. A decisão será oficialmente anunciada no início da tarde desta quinta (14), em coletiva de imprensa virtual.Na semana passada, a gestão municipal afirmou que pretendia flexibilizar a regra em ambientes externos a partir da segunda quinzena de outubro. A proposta era avaliada pela área técnica da secretaria Municipal da Saúde.A prefeitura não deve estabelecer uma nova data exata para liberar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos ao ar livre.A previsão é a de que a regra seja mantida até pelo menos meados de novembro.Um dos tópicos do estudo realizado pela gestão municipal aponta a “importância da manutenção das medidas não farmacológicas de prevenção”.Destaca, ainda, a “importância do isolamento do caso e quarentena  de contatos próximos para interromper a cadeia de transmissão”.Nota do Conselho de Secretários da SaudeNa semana passada, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou uma nota nesta sexta-feira (8) na qual defende a manutenção da obrigatoriedade do uso de máscaras no Brasil.No documento, o órgão ressalta que o afrouxamento de medidas de controle está diretamente relacionado ao aumento do número de casos de coronavírus, como ocorreu em outros países."É preciso que estejamos atentos às experiências frustrantes de alguns países que, acreditando ter superado os riscos, suspenderam a obrigatoriedade do uso de máscaras, afrouxaram as medidas de prevenção e, por isso mesmo, tiveram recrudescimento importante do número de casos e de óbitos, obrigando-os a retroceder", diz a nota.O alerta foi feito após São Paulo e Rio de Janeiro anunciarem que estudam flexibilização da regra.O que dizem CDC e outros órgãos?A orientação do CDC (sigla em inglês pra Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) para uso de máscaras, divulgadas em 13 de agosto, é para manutenção em locais fechados e a recomendação é para que elas também sejam usadas em ambientes externos em áreas com altos índices de transmissão e com reunião de grande número de pessoas.No Brasil, a recomendação para o uso ainda está em vigor, apesar de o ministro Marcelo Queiroga dizer que é contrário à obrigatoriedade do uso de máscaras. Desde junho Queiroga recebeu o pedido de Bolsonaro para desobrigar o uso de máscara por vacinados.Quando a medida foi anunciada, especialistas classificaram como uma temeridade. Cerca de um mês depois, o ministro disse que qualquer decisão seria tomada com "base na ciência" e ainda não houve decisão sobre o tema.(Fonte: G1) Saiba Mais

Novo medicamento é candidato promissor para tratamento da dengue

Novo medicamento é candidato promissor para tratamento da dengue

Novidade promissora na luta contra uma doença bem conhecida dos brasileiros: um inibidor do vírus da dengue se mostrou eficaz para frear a infecção em camundongos. Os resultados, publicados na quarta-feira (06) na revista científica Nature, são a esperança de um novo mecanismo de ação antiviral, já que, atualmente, não existem remédios do tipo para a prevenção ou tratamento da dengue.O vírus da dengue tem múltiplas variantes, o que torna a busca por um agente terapêutico que funcione em todas elas um grande desafio. Um medicamento antiviral contra a dengue também promete ser uma grande arma contra o vírus, já que hoje, os métodos para combatê-lo se resumem a iniciativas de controle das populações do mosquito transmissor da doença (Aedes aegypti) e cuidados ambientais — como eliminar focos de água parada para que os mosquitos não se reproduzam.A equipe do virologista belga Johan Neyts conseguiu um grande avanço: eles identificaram compostos que inibem o vírus da dengue em culturas de células. O composto com melhores resultados foi otimizado e batizado de JNJ-A07 — e ele se revelou altamente potente contra todos os subtipos do vírus.O composto, seguro em camundongos e ratos, reduziu a carga viral em camundongos que receberam a dose oral, tanto como prevenção quanto como tratamento. Isso ocorre porque o JNJ-A07 interfere diretamente na replicação do vírus, bloqueando a interação de duas proteínas do vírus – NS3 e NS4B. Agora, o próximo passo na criação do antiviral é realizar ensaios clínicos em humanos.Dengue no BrasilA dengue, uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, afeta cerca de 96 milhões de pessoas no mundo todos os anos. Segundo o estudo, a estimativa de pessoas em risco de infecção é de 3,9 bilhões — número que vem aumentando a cada ano.No Brasil, segundo o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde que monitora casos da doença, publicado em julho, a situação epidemiológica de 2021 é de 440.012 casos prováveis de dengue no País, o que significa uma taxa de incidência média de 207,8 casos por 100 mil habitantes.Em comparação com o ano de 2020, houve uma redução de 51,8 % de casos registrados no mesmo período, com maior número de casos na região Centro-Oeste: 466,2 casos a cada 100 mil habitantes. Em seguida vieram a região Sul, com 222,3 casos/100 mil habitantes; Sudeste, com 201,9 casos/100 mil habitantes; Nordeste, com 154,5 casos/100 mil habitantes e Norte, com 147,7 casos/100 mil habitantes.Segundo o boletim, a causa provável da redução no registro de casos pode ser o receio da população em procurar atendimento em unidades de saúde durante a pandemia, além de casos de subnotificação ou atraso em notificações, também devido à mobilização das equipes de saúde para o enfrentamento da pandemia.(Fonte: Tecmundo) Saiba Mais

Clientes

Contato